segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

No nosso sangue corre o Amor



O seu pau latejava a cada mordida.
E a cada mordida um gemido de dor.
Seus lábios pediam mais.

Ele se contorce. Seu corpo todo se contorce.
A dor tão excitante quanto o amor.
Suas veias pareciam que iam explodir.
Seu pau penetra em meu corpo.

Jorra o sangue, jorra a vida.
Jorra o Amor.
Deusa.


**********************************

No nosso sangue corre o amor.
No nosso sangue existe amor
No nosso sangue há poesia.
Fernado Reis Costa

2 comentários:

Deusa Circe disse...

Saudade...
Bjs!

Kleiton - Simplesmente Ser disse...

aiai sentindo ainda aqui as deliciosas mordidinhas, rss

bjs

seu maridinho