sexta-feira, 4 de setembro de 2009

CASAMENTOS SEXUAIS

Estava lendo outro dia o livro "A Cena Conjugal", do psicanalista Gley P. Costa, quando me deparei com um trecho que analisava a base de sustentação de um casamento. O que faz uma relação durar mais do que outras? Elementar, meu caro internauta: CAMA.


Não é uma idéia romântica, nem mesmo uma idéia nova. Sangue de Jesus tem poder, mas sexo, me perdoem os fiéis, é páreo. Segundo o autor do livro, o prazer é o anseio número um dos casais, e quando ele é atingido plenamente, as outras áreas do relacionamento conjugal tendem a ficar menos conflitantes. Concordo: estando tudo nos trinques na hora do bem-bom, com qualidade, criatividade e relativa freqüência, o ronco do outro não incomoda tanto, o tempo que ela passa no telefone é irrelevante, a discordância sobre o filme que querem ver é café pequeno. Os problemas do cotidiano são diluídos embaixo dos lençóis.



Você deve conhecer ao menos um casal que, por mais que se desentenda, não consegue se separar. São aqueles casais-sanfonas, vão e voltam inúmeras vezes. Todos os amigos sabem que não vai dar certo, e não dá mesmo, eles brigam feito galos de rinha. Mas voltam. Nem que seja um ano depois, nem que seja para uma recaída breve, nem que seja para brigar um pouquinho mais: voltam. Estão unidos pelos laços sagrados do amor carnal. Devem conhecer todos os segredos do Kama Sutra.




Claro que não basta que só o sexo seja bom. O casal tem que ter afinidades matinais e vespertinas, não só noturnas. Mas o amor, verdadeiro motivo de qualquer enlace, não consegue dar conta do recado sozinho. Alguns acham que o amor resolve tudo, supera tudo, até o sexo raro e sem graça. Não é verdade. O casal que não transa bem, cuja química não funciona ou os cheiros não combinam, podem manter-se unidos até que a morte os separe, mas terminarão como dois irmãos. Ou farão voto de castidade em nome deste amor fraternal, ou procurarão sexo no mercado paralelo. Eu não condeno uma coisa nem outra, mas se podemos ter tudo em casa, amor e paixão, amor e desejo, amor e adrenalina, tanto melhor. Se você andou ouvindo seu coração e resolveu casar, agende antes uma entrevista com seu corpo também. Ele lhe dirá o que pouca gente admite: que desejar é tão importante quanto amar.
Martha Medeiros









PS: Depois de tudo que eu li..
Somente posso afirmar que ao me casar com Kleiton
fiz várias entrevistas com o meu corpo..
Nas próximas postagens irei debater um pouco mais sobre relacionamentos.
Deusa

3 comentários:

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX disse...

Amada minhaaaaaaa!

Um psicanalista me disse um dia que a única coisa real numa relação é o desejo da carne. E eu perguntei: E o amor?
Ele respondeu solene: O amor é o mais louco delírio da alma humana.

De minha parte, acredito nos dois e considero ambos muito importantes e necessários. Não se pode ter uma "cama perfeita" se não houver respeito, despojamento, cumplicidade. E o que é isto senão o amor???


Fico com saudades quando vc some, lindona... faz isso não, viu???

Doces besos!

{Λїŧą}_ŞŦ disse...

"O casal que não transa bem, cuja química não funciona ou os cheiros não combinam, podem manter-se unidos até que a morte os separe, mas terminarão como dois irmãos."

Verdade, verdade verdadeira, "verdadíssima".
Bom demais é ter os dois com a mesma pessoa, amor e sexo, sexo e amor... aí é tudibom!
Obrigada pela sua ida lá no meu canto, Deusa querida,
Faço coro com Amar, some não que a gente sente falta.

Beijos meus.

{Åmar ¥asmine}_ÐEXPEX disse...

Poderosa Afrodite,

voltei pra te chamar pra ir lá no blog conhecer Annimah, que quase foi minha...

Doces besos!